Mostrando postagens classificadas por data para a consulta política. Classificar por relevância Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por data para a consulta política. Classificar por relevância Mostrar todas as postagens
Uma pesquisa do Blog do BG em parceria com o Instituto SETA  divulgado hoje dia 20 a visando as eleições do próximo ano. Estaria desenhado um segundo turno para governador entre a senadora Fátima Bezerra e o atual governador Robinson Faria. 

Na pesquisa estimulada, que é aquela em que os eleitores têm acesso a uma lista com nomes, Fátima lidera com 20% das intenções de voto. A frente de Robinson, que aparece em segundo com 15,6%. Em terceiro aparece o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves (10,4%). E em último o ex-prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado com 2,6%. Vale lembrar que esses nomes foram escolhidos por naturalmente serem candidatos ou por serem tratados nos bastidores da política como possíveis candidatos.

O total de indecisos ficou em 10%, mas o total dos que afirmou que não vai votar em ninguém, ou seja, que vai votar em nulo ou branco atingiu 41,3%. Um percentual alto de eleitores que previamente já decidiram que não pretendem votar nos nomes postos. A pesquisa do Instituto Setas foi realizada entre os dias 15 e 17 de maio com 1100 entrevistas, um grande número de entrevistados se comparado as pesquisas que tradicionalmente são divulgadas. Ela foi calculada com grau de de confiabilidade de 95% e com margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Os desdobramentos de um mandato executivo e o seu escolhido vice no Brasil, sempre foram recheados de amor (antes da eleição) e ódio (depois da conquista do pleito executivo). Afinal, os números não mentem, poucos são os prefeitos, governadores e presidente no país, que terminam seus conquistados mandatos falando à mesma linguagem política eleitoral.

Depois da redemocratização, três vice-presidentes chegaram ao Palácio do Planalto,
José Sarney (1985/1990),
Itamar Franco (1992/1995) e o atual presidente,
Michel Temer (2016).

Todos filiados ao (PMDB). Portanto, se caso seja extinto pela nova reforma política, o cargo de vice, essa cobiçada função publica, já faz parte da história política do Brasil.
Wilma Maria de Faria nasceu no dia 17 de fevereiro de 1945.

E entrou para a vida pública como mulher de governador.

Era casada com Lavoisier Maia quando, em 1979, assumiu a presidência

do MEIOS – Movimento de Integração e Orientação Social.

À época ainda era conhecida por Wilma Maia.

Em 1983, já no governo de José Agripino Maia, Wilma

foi nomeada titular da Secretaria de Trabalho e Bem-Estar Social. Como gestora do órgão responsável por ações sociais do Governo, pôde demonstrar o carisma que tinha no contato, principalmente, com pessoas mais carentes, e em 1985 se afastou da gestão para disputar, pela primeira vez, a Prefeitura de Natal.

Começou mal a carreira política, perdendo para Garibaldi Filho, eleito prefeito da capital.

A derrota inicial deu o gás que ela viria a mostrar logo em seguida, quando ganhou dos eleitores o apelido de Guerreira.

Em 1986 Wilma se elegeu deputada federal e ajudou a escrever a Constituição que está em vigor.

Se destacou no Congresso Nacional pelos debates em torno dos direitos sociais e dos trabalhadores.

Na avaliação do DIAP – Departamento Intersindical de Assuntos Parlamentares, entre os 513 parlamentares da Câmara, ficou entre os deputados Nota 10.

Sem cumprir o mandato até o final, se candidatou novamente à Prefeitura de Natal em1988, derrotando o então candidato Henrique Alves, candidato do então prefeito Garibaldi Filho.

Foi eleita a primeira mulher prefeita de Natal.

Em 1992, ainda sem o instituto da reeleição em vigor, concluiu o mandato de prefeita e elegeu, derrotando mais uma vez Henrique Alves, o até então ilustre desconhecido engenheiro Aldo Tinoco.

A relação entre criador e criatura durou pouco mais de um ano e o rompimento foi inevitável.

Nessa época a Guerreira, que tinha como marca uma Rosa vermelha, símbolo do PDT, já estava separada de Lavoisier Maia.

Foi quando ela assumiu seu sobrenome e virou Wilma de Faria.

Sem mandato, disputou o Governo do Estado em 1994 e ficou em quarto lugar.

Dois anos depois, em 1996, disputou mais uma vez a Prefeitura de Natal e mais uma vez se elegeu, se reelegendo em 2000.

Em 2002, na metade do terceiro mandato de prefeita, renunciou ao cargo contra a vontade de aliados e assessores.

Ouviu a mãe, Dona Sally, e sem comunicar a ninguém, foi à Prefeitura e renunciou.

Entregou a administração ao seu vice, Carlos Eduardo Alves, e com apenas 2% de intenção de votos nas pesquisas realizadas com vistas ao Governo do Estado, disputou a eleição e ganhou.

Derrotou o então governador-candidato à reeleição, Fernando Freire.

Sozinha e desacreditada inicialmente até por seus sábios conselheiros, foi eleita a primeira mulher governadora do Rio Grande do Norte. 

Se reelegeu em 2006 derrotando o ex-governador Garibaldi Filho.

Foi o troco da eleição de 1985, quando Garibaldi a derrotou na sua primeira disputa eleitoral.

Em 2008, no meio do segundo mandato de governadora, Wilma enfrentou uma de suas maiores batalhas.

Acusado de envolvimento num esquema de desvio de dinheiro da Secretaria de Saúde, o filho Lauro, que vislumbrava uma carreira política, foi preso.

Golpe fatal para o começo de uma virada na história política da Guerreira destemida Wilma Maria de Faria, que em 2010, depois de renunciar ao Governo, passando o cargo ao vice Iberê Ferreira de Souza, disputou e perdeu a campanha para o Senado.

Em 2012 ela inverteu papéis.

E virou vice-prefeita de Carlos Eduardo Alves, que foi seu vice duas vezes e de quem herdou a Prefeitura.

Em 2013 perdeu a mãe, Dona Sally.

Sua eterna conselheira a deixou aos 87 anos.

Em 2014, na dúvida entre disputar o Governo, a Câmara e o Senado, apostou errado e mais uma vez perdeu a eleição, ao concorrer à única vaga de senador.

Perdeu para a senadora Fátima Bezerra.

Aí veio o câncer…

E a luta da Guerreira passou a ser mais difícil.

Restava a ela uma eleição municipal.

Para fechar a trajetória com chave de ouro, tinha que disputar um mandato de vereadora.

Era a chance de voltar a se sentir vitoriosa.

No meio da campanha, viagens a São Paulo e até uma cirurgia.

Pouco tempo e pouca disposição para andar de casa em casa abraçando o povo como gostava de fazer.

Se elegeu, mas sem a quantidade de votos esperada.

Mas se elegeu.

Tomou posse, elegeu presidente da Casa, assumiu cadeira na Mesa Diretora como segunda-vice-presidente, e conquistou espaço nas comissões temáticas.

Estava terminada a batalha.

Estava encerrada a vida.

Wilma de Faria deixa escrita a história mais bonita de uma mulher que um dia sonhou, e conseguiu, trabalhar pelo povo de sua cidade e de seu estado.

Thaísa Galvão
A Câmara Municipal de Guamaré realizou na tarde desta terça-feira (09), sessão solene para a entrega de títulos de cidadão, em homenagem aqueles que prestaram serviços relevantes à cidade.

A sessão comemorativa aos 55 anos de emancipação política de Guamaré, foi presidia pelo então presidente o vereador Emilson de Borba Cunha (Lula) e contou com a presença dos demais vereadores, secretários, e o povo em geral.
.
Por outro lado quem roubou a cena foi a historiadora e ex-secretária de turismo de Guamaré, a Sr. Jandir Candeás, que deu um show de conhecimentos sobre a emancipação politica de nosso município, falando de quando ele foi emancipado até os dias de hoje. Dona Jandir tem um conhecimento adquirido ao longo dos anos, pois sempre buscou aprender, indo além.

O fundamental  de Jandir é que ela tem a humildade de transmitir todo o seu conhecimento dentro da verdade, e deixa a mente do povo sempre aberta. Ela tem uma fonte inesgotável de conhecimento. Em todos os eventos, principalmente de emancipação política, a presença dela é fundamental e merecesse toda a nossa atenção e respeito. 

A vereadora Atilandia Teixeira de Oliveira (Danda de Garrote – PDT), formalizou sua renúncia ao cargo eletivo, por meio de ofício encaminhado à Presidência da Câmara de Vereadores de Parazinho e lido em plenário no início da última sessão ordinária realizada na Casa Legislativa na noite desta terça-feira, 09 de maio de 2017. 

Segundo a ex-vereadora, a decisão oficializada tem caráter irrevogável uma vez que sua renuncia ao seu mandato para o qual foi eleita no pleito eleitoral de 02 de outubro de 2016, com 201 votos (4.66%) é de livre e espontânea vontade. Na mesma renuncia, Danda de Garrote solicita que seja convocado o seu suplente para assumir o mandato restante.

Com a renuncia, o Senhor José Geam Bezerra Gomes (Geam de Ladin – DEM), deve assumir o lugar da vereadora renunciante já que é o primeiro suplente. Geam de Ladin obteve 184 votos no último pleito eleitoral.

O Presidente da Câmara de Vereadores, Carlos Veriano de Lima (Carlinhos de Veri – PMN), comunicou ao plenário que tomará as medidas pertinentes a respeito da renúncia da vereadora Danda. Segundo ele, diante do desligamento da Parlamentar resta dar encaminhamento aos procedimentos cabíveis e consequentemente dar posse ao suplente.

O ocorrido surpreendeu a todos pelo fato desta ser a primeira vez na história política de Parazinho que um agente público, no caso uma vereadora, renuncia ao seu mandato eletivo.
A missa solene em ação de graças pelo aniversário de 55 anos de emancipação política de Guamaré, celebrada na noite deste domingo, 7, data do aniversário da cidade, foi marcada pela conclamação do pároco Flávio Bezerra para a união da classe política em favor da cidade.

“Abram os seus corações para o amor, a união, o perdão e a paz”, disse padre Flávio, chamando atenção dos fieis, para a necessidade do desarmamento da classe política e da comunidade, numa referência clara aos últimos acontecimentos na cena política local, que dividiu a cidade. “Guamaré precisa seguir sua história e crescer com as famílias em paz”, conclamou.

Agradecimento
Ao lado da vice-prefeita, a professora Iracema, o prefeito Hélio Miranda falou no final da missa para os fiéis que lotavam a igreja. “Quero agradecer o apoio da minha família, dos vereadores e dos amigos que tem ficado ao nosso lado e estender as mãos aos que desejem somar com o nosso projeto.

Guamaré é maior que qualquer divergência, que venham muitos outros aniversários com a união do seu povo”, disse o prefeito.No final da missa, aconteceu o hasteamento de bandeiras na praça em frente à Matriz de Nossa Senhora da Conceição e o corte do tradicional bolo de aniversário. O prefeito Hélio Miranda compartilhou o bolo inicialmente com as crianças presentes ao evento e, em seguida com a sua equipe de auxiliares, vereadores e o público que compareceu em massa ao evento religioso e ao ato cívico.
com imagem de Josivan Dantas
A Inconfidência Mineira, ou Conjuração Mineira, foi uma tentativa de revolta abortada pelo governo em 1789, em pleno ciclo do ouro, na então capitania de Minas Gerais, no Brasil, contra, entre outros motivos, a execução da derrama e o domínio português. Foi um dos mais importantes movimentos sociais da História do Brasil. Significou a luta do povo brasileiro pela liberdade, contra a opressão do governo português no período colonial. No final do século XVIII, o Brasil ainda era colônia de Portugal e sofria com os abusos políticos e com a cobrança de altas taxas e impostos. Além disso, a metrópole havia decretado uma série de leis que prejudicavam o desenvolvimento industrial e comercial do Brasil. No ano de 1785, por exemplo, Portugal decretou uma lei que proibia o funcionamento de indústrias fabris em território brasileiro.

Causas Neste período, era grande a extração de ouro, principalmente na região de Minas Gerais. Os brasileiros que encontravam ouro deviam pagar o quinto, ou seja, vinte por cento de todo ouro encontrado acabava nos cofres portugueses. Aqueles que eram pegos com ouro “ilegal” (sem ter pagado o imposto”) sofria duras penas, podendo até ser degredado (enviado a força para o território africano). Com a grande exploração, o ouro começou a diminuir nas minas. Mesmo assim as autoridades portuguesas não diminuíam as cobranças. Nesta época, Portugal criou a Derrama. Esta funcionava da seguinte forma: cada região de exploração de ouro deveria pagar 100 arrobas de ouro (1500 quilos) por ano para a metrópole.

Quando a região não conseguia cumprir estas exigências, soldados da coroa entravam nas casas das famílias para retirarem os pertences até completar o valor devido. Todas estas atitudes foram provocando uma insatisfação muito grande no povo e, principalmente, nos fazendeiros rurais e donos de minas que queriam pagar menos impostos e ter mais participação na vida política do país. Alguns membros da elite brasileira (intelectuais, fazendeiros, militares e donos de minas), influenciados pela idéias de liberdade que vinham do iluminismo europeu, começaram a se reunir para buscar uma solução definitiva para o problema: a conquista da independência do Brasil.
O senador e ex-presidente da República Fernando Collor (PTC-AL) classificou a atual fase de descrédito e de cerco das instituições contra integrantes da classe política como um momento de extrema dificuldade. E disse estar disposto a enfrentar novas batalhas, ao não descartar a possibilidade de voltar a disputar a Presidência da República, 25 anos após seu impeachment.

Para Collor, os problemas estruturais do País causam aflição e é necessário superar dificuldades, por exemplo, com relação aos 14 milhões de desempregados e ao que chamou de criminalização e criminalização da classe política. E elegeu a paciência e a boa vontade como forma de encontrar uma solução que não penalize a população.
MATÉRIA GRATUITA
NOTA DE ESCLARECIMENTO
A sensação de insegurança que vem sendo sentidas por todos os cidadãos é uma realidade em todo o Estado, e não seria exagero dizer em todo o país, a população de Guamaré conta com o empenho do prefeito municipal em manter bem equipada e em ação permanente a guarda municipal, que além de equipamentos e viaturas conta com o monitoramento da entrada e saída da cidade de Guamaré.

Isso não tem sido suficiente aos olhos da onda de violência que ocorre em todo o Estado e país, mas o que cabe ao chefe do executivo tem sido implementado, inclusive estará sendo enviado para Câmara Municipal projeto de lei que se encontra em fase de conclusão para armar a guarda municipal com arma de fogo, isso buscando a exceção a regra que permite somente algumas cidades, esse projeto de lei inclusive será implementado com treinamento de uso de arma de fogo.

Tenta-se com boatos e inverdades supostamente submeter ao prefeito a responsabilidade da policia militar por meio de diárias o suposto risco de um ataque ao sistema bancário, como fosse um aviso ou mesmo uma suposta omissão, contudo, cabe ao Estado sabendo do risco na região reforçar suas ações e proteger o cidadão na parte que lhe cabe, isso sem contar com diárias que foram apontadas como ilegais o seu pagamento pelo município, e até que seja alterado esse entendimento do TCE sobre esses pagamentos o município não realizará essas despesas, e se manterá na trilha da legalidade, acreditando que a polícia militar fará seu papel institucional na medida que as despesas com pagamento de policiais é dever do Estado e ainda mais, deve a polícia e seu comando local fazer seu dever sem contar com receitas do município devido a sua impossibilidade dita pelo Tribunal de Contas.

Determinei ao comando da guarda que redobre a atenção a veículos suspeitos e pessoas em atitude suspeitas na cidade de Guamaré, e ainda, determinarei que seja oficiado ao comando da Polícia Militar que redobre de igual maneira a vigilância quanto a possível ataque ao sistema bancário na cidade Guamaré, contudo, cabe a polícia militar independente de diárias fazer seu dever legal de proteger a cidade, e a região de possíveis ataques ou violência.

Certo de sempre ser parceiro da polícia a atual administração de Guamaré mantém bom relacionamento com seus comandantes no Estado, acredita em seu empenho e dedicação em promover a segurança pública, ressaltando que esse relacionamento não esta condicionado a pagamento de diárias ou outras despesas, isso pode ser afirmado simplesmente pela certeza que a polícia deve cumprir seu papel legal independente de dinheiro do erário de Guamaré.

Ressaltando que qualquer despesa será tratado diretamente com o comando da polícia militar caso seja necessário, e dentro da legalidade, objetivando proteger o cidadão guamareense e em respeito às recomendações do Ministério Público, ao passo que a busca de certos comentários para supostamente relacionar o prefeito de Guamaré a pagamento de policiais a margem da lei não ocorrerá, e faremos de igual modo comunicação ao MP caso ocorra vulnerabilidade da segurança ou omissão que venha colocar em risco a segurança do povo, como também não vamos nos afastar do objetivo de cumprir a lei e as determinações dos órgãos fiscalizadores, meta sempre perseguida pala atual administração, independente de boatos ou insinuações com claro objetivo de tentar extorquir o erário.

Por fim, dentro da legalidade a Prefeitura Municipal de Guamaré, sempre irá manter a parceria com a Polícia Militar.

Hélio Willamy Miranda da Fonseca.
Prefeito Municipal de Guamaré.
O relator da reforma política na Câmara, o deputado Vicente Cândido (PT-SP) adiantou que vai propor em seu parecer final o fim dos vices em todas as instâncias de governo.

Com isso, deixariam de existir vice-presidente, vice-governadores e vice-prefeitos.

VICES
Como é hoje:
Presidente da República, governadores e prefeitos têm vices, que são eleitos na mesma chapa.

Como ficaria:
O Brasil deixaria de ter o cargo de vice em todas as instâncias.

Luciano Huck conversando com o presidenciável Flávio Rocha

O partido Novo teve seu registro de fundação aprovado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2015 e surgiu na cena política com o discurso de ser um “partido político sem políticos”, composto por pessoas “sem experiência na política”, que entre si compartilham o “descontentamento generalizado com a política partidária nacional”.

O “dono” do partido é o banqueiro João Dionísio Amoêdo, que além de presidente da legenda é também presidente do Citibank, tendo ocupado a presidência do Itaú BBA e do Unibanco. Ao lado do banqueiro, assinam a fundação do Partido Novo Marcelo Lessa Brandão, executivo do grupo que controla as redes de fast food Bob’s, Pizza Hut, McDonald’s e KFC ; João Antonio Lian, presidente do Conselho de Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) – e Fábio Luis Ribeiro, figura de destaque do setor financeiro, onde atua como gestor de fundo de investimentos.

Entre os amigos idealizadores do partido estão o ex-ministro da Fazenda Edmar Bacha e o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, ambos homens fortes do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Com nomes como esses em sua cúpula, o partido Novo promete “renovar a política”, e já anunciou que vai lançar em breve, como pré-candidato à Presidência da República em 2018, o dono da rede de lojas Riachuelo, Flávio Rocha.

Em entrevista, João Amoêdo deu o tom das qualificações que o partido vê em seu candidato para lança-lo na corrida presidencial:
“Flávio Rocha é uma pessoa alinhada com os princípios do Novo e um bom gestor”. O empresário Flávio Rocha,
foi deputado federal em 1986 pelo PFL (atual DEM). Tão logo foi eleito, transferiu-se para o PL. Foi reeleito em 1990, mas então já estava no PRN, para onde foi após ser convidado por Fernando Collor. De volta ao PL, foi candidato à Presidência da República em 1994 – quando sua principal bandeira foi a criação do chamado Imposto Único, que substituiria todos os demais.

Mas deixou a competição antes das eleições. Recentemente, Flávio Rocha apareceu em uma reportagem da revista Carta Capital, desta vez como empresário, queixoso da política econômica e “um dos porta-vozes do empresariado nacional a defender o impeachment” de Dilma Rousseff.
images
As especulações sobre possíveis candidaturas ao pleito de 2018 já começam a ganhar força nos bastidores da política potiguar. Da capital ao interior não se fala em outra coisa. A disputa promete ser acirrada. Começando pela capital, onde o prefeito de Natal, bem avaliado, Carlos Eduardo (PDT) é o nome que mais ameaça à reeleição do governador Robinson Faria (PSD).

Ainda se fala em Claúdio Santos, ex-presidente do Tribunal de Justiça. Outro nome cotado para uma disputa majoritária é o do empresário Flávio Rocha. Outro que sonha numa disputa majoritária é deputado federal Rogério Marinho (PSDB).

A deputada federal Zenaide Maia (PR), que botou as unhas de fora, se movimenta em busca de ter um espaço maior, quer disputar o Senado Federal. Outros nomes que já definiram que disputarão uma cadeira de deputado federal são os ex-deputados Henrique Alves (PMDB) e João Maia (PR).

A ex-governadora e atual vereadora Wilma de Faria(PTdoB), vem sendo incentivada a entrar na disputa pela câmara federal, mas, problemas de saúde podem deixá-la de fora do pleito.
Na manhã desta sexta-feira (3) aconteceu mais uma reunião do Núcleo Diretivo do Território Sertão Central Cabugi e Litoral Norte, dessa vez na sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Macau, com a Recepção do anfitrião Dedé do sindicato.

Estiveram presentes representantes de Fernando Pedroza, Macau, Guamaré, Lajes, e a engenheira agrônoma da EMATER Dr Fernanda, representando Guamaré estiveram o gestor de economia solidária Sr. José de Arimateia, o Secretário de pesca e carcinicultura Edivan Barreto acompanhado de sua esposa a Srª,  Ricardina e Francinete Melo Coordenadora do território

Representando a cidade de Macau esteva o secretário de agricultura e pesca Sr, Walfran Miranda,.
Foram discutidos temas como:  reunião passada e futura, e plenária do Território, entrega do PPA e Câmaras Temáticas,  também foram proposta para um palestrante que possa fazer uma análise da conjuntura política atual no país.

O colegiado ainda definiu o local e a data do próximo encontro que será em Galinhos no dia 11 de abril. O secretário de pesca de Guamaré, Edivan Barreto pediu que na próxima reunião  seja discutido programas de incetivos para o Aquicultor Guamaréenses.
segundo o secretário Barreto, já fez visitas aos aquicultores do município e tenta buscar melhoramentos e ampliação e ainda difundir melhor suas atividades e contator,os limites atuais da atividades que refletem, em parte, a falta de investimentos de décadas passadas.
VEJA FOTOS DA VISITA DO SECRETÁRIO NOS ASSENTAMENTOS DO MUNICÍPIO DE GUAMARÉ