Mostrando postagens classificadas por data para a consulta cultura. Classificar por relevância Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens classificadas por data para a consulta cultura. Classificar por relevância Mostrar todas as postagens
Carlos Alberto de Sousa nasceu em Natal no dia 26 de dezembro de 1945, filho de José Paulino de Sousa e de Genemar Gomes de Sousa. Concluiu o curso de contabilidade na Escola Técnica de Comércio Municipal, em Natal, no ano de 1972. Também radialista, empregou-se na rádio Cabugi de Natal, de propriedade do ex-governador Aluísio Alves, uma das principais lideranças políticas do estado. Notabilizou-se em seus programas de auditório por uma linguagem de cunho popular e pela distribuição de cadeiras de rodas às populações carentes.

Foi também empresário de vários artistas e gravou um disco com duas músicas de sua autoria. No pleito de novembro de 1972, favorecido pela popularidade alcançada no rádio e tendo o apoio de Alves, elegeu-se vereador em Natal pelo Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar instaurado no país em abril de 1964. 

Empossado no início do ano seguinte, foi segundo-secretário da Câmara Municipal. Novamente apoiado por Aluísio Alves, elegeu-se, nas eleições de novembro de 1974, deputado estadual no Rio Grande do Norte pelo MDB. Iniciando o mandato no ano seguinte, tornou-se segundo-secretário da Mesa da Assembléia Legislativa e foi presidente das comissões de Desenvolvimento e de Redação Final. De 1975 a 1977, ocupou também o cargo de segundo-secretário da seção estadual do MDB. Em 1975, concluiu o curso de psicologia da administração pela Fundação Padre Ibiapina.

No pleito de novembro de 1978 elegeu-se deputado federal, sempre pela legenda oposicionista, tendo sido o deputado mais votado de seu estado. Nesta época, deixou o grupo “moderado” do MDB potiguar — liderado por Aluísio Alves — e aliou-se aos “autênticos”, que faziam uma oposição mais sistemática ao regime militar. Afastou-se também da rádio Cabogi, por discordar de um acordo feito por Alves com Tarcísio Maia, líder da governista Aliança Renovadora Nacional (Arena).

Carlos Alberto assumiu o mandato na Câmara dos Deputados em fevereiro do ano seguinte. Com o fim do bipartidarismo (29/11/1979) e a posterior reorganização partidária, filiou-se ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), agremiação que deu continuidade ao MDB, embora anteriormente houvesse se aproximando da corrente liderada por Leonel Brizola que daria origem ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). 

Também em 1979, concluiu o curso de atualização em direito do trabalho na Fundação Padre Ibiapina e, na Câmara, foi titular da Comissão de Comunicação e suplente das comissões de Trabalho e Legislação Social e de Serviço Público. Participou ainda como suplente da Comissão de Relações Exteriores (1980) e foi titular das de Ciência e Tecnologia (1981) e de Constituição e Justiça (1983-1984). Desligou-se do PMDB em 1981, filiando-se em seguida ao Partido Democrático Social (PDS), agremiação que sucedera à Arena.

Sua surpreendente adesão ao partido governista foi vista por alguns de seus críticos como uma forma de sanar a difícil situação financeira do jornal Folha da Manhã, editado pela Aliança Gráfica e Editora, de sua propriedade. Depois de seu ingresso no PDS, foi indicado para uma das vice-lideranças do governo na Câmara.

Ligado ao ministro do Planejamento, Delfim Neto, ocupou a tribuna do Legislativo federal em várias oportunidades para defender-lhe a política econômica. Foi ainda membro do Conselho de Ética do diretório nacional do PDS e vogal da executiva do partido no Rio Grande do Norte. Em novembro de 1982, elegeu-se senador pelo PDS potiguar, assumindo o mandato em fevereiro do ano seguinte.

Em agosto de 1983, defendeu a renegociação política da dívida externa brasileira, sugerindo a criação de uma comissão de senadores para discutir o problema junto ao Congresso dos Estados Unidos. Ainda neste ano, depois das críticas que fizera ao ministro-chefe do Gabinete Civil, João Leitão de Abreu, deixou o cargo de vice-líder do governo no Senado. Em 1984, participou como titular das comissões de Serviço Público Civil, de Municípios e de Constituição e Justiça do Senado. Com a derrota na Câmara, em abril desse mesmo ano, da emenda que previa o restabelecimento das eleições diretas para presidente da República, tiveram início as articulações partidárias para o Colégio Eleitoral que iria escolher o sucessor do general João Batista Figueiredo (1979-1985).

]Apoiando com discrição a pré-candidatura de Paulo Maluf no PDS, Carlos Alberto ameaçou, em maio de 1984, transferir-se para o grupo do ministro do Interior, Mário Andreazza. No entanto, com a vitória de Maluf na convenção de agosto, tornou-se seu porta-voz junto a Figueiredo. Coerentemente com essa posição, votou no candidato governista no Colégio Eleitoral de 15 de janeiro de 1985 que elegeu o ex-governador de Minas Gerais Tancredo Neves.

Eleito pela Aliança Democrática, coligação do PMDB com a dissidência do PDS reunida na Frente Liberal, Tancredo, no entanto, não chegou a assumir a presidência em março seguinte. Acometido por uma grave doença, foi substituído por seu vice José Sarney, efetivado no cargo após a morte do ex-governador mineiro no dia 21 de abril. Em junho de 1985, Carlos Alberto lançou a candidatura de sua esposa, Míriam Garcia de Araújo Sousa, à prefeitura de Natal, pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), para o qual se havia transferido. Na ocasião, referindo-se ao PDS, afirmou que o partido encontrava-se “sob a camisa-de-força” do governador Agripino Maia no Rio Grande do Norte. Também em 1985, concluiu o curso de comunicação social, com habilitação em publicidade e propaganda na Faculdade de Direito do Centro Universitário de Brasília. No biênio 1985-1986, representando o PTB, foi suplente das comissões de Constituição e Justiça e de Legislação Social e titular da Comissão de Assuntos Regionais e de Fiscalização e Controle do Senado.

Na Assembléia Nacional Constituinte (ANC), cujos trabalhos foram instalados em 1º de fevereiro de 1987, integrou como titular a Subcomissão do Poder Executivo, da Comissão da Organização dos Poderes e Sistema de Governo, e, como suplente, a Subcomissão de Tributos, Participação e Distribuição de Receitas, da Comissão de Sistema Tributário, Orçamento e Finanças. Nas principais votações do período, votou contra o mandado de segurança coletivo, a estatização do sistema financeiro, a proibição do comércio de sangue, a limitação para os encargos da dívida externa, a legalização do jogo do bicho e a desapropriação da propriedade produtiva.

Votou a favor da pena de morte, da proteção ao emprego contra a demissão sem justa causa, da jornada semanal de 40 horas, do turno ininterrupto de seis horas, do aviso prévio proporcional, do voto facultativo aos 16 anos, do presidencialismo, da nacionalização do subsolo, do mandato de cinco anos para Sarney, da criação de um fundo de apoio à reforma agrária e da anistia aos micro e pequenos empresários.

Absteve-se quanto à limitação do direito à propriedade privada e ausentou-se nas votações sobre a criminalização do aborto e a soberania popular. Com a promulgação da nova Carta Constitucional em 5 de outubro de 1988, continuou a participar dos trabalhos legislativos ordinários do Senado, tendo presidido a Comissão de Economia entre 1989 e 1990. Ainda em 1989, visitou a Inglaterra na condição de membro do Parlamento Latino-Americano (Parlatino), em viagem de estudos com vistas ao reatamento das relações diplomáticas entre aquele país e a Argentina.

Transferindo-se para o Partido Democrata Cristão (PDC) em 1990, tentou se candidatar à reeleição no pleito de outubro deste ano. Contudo, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio Grande do Norte impugnou sua candidatura, por ter considerado “nula de pleno direito” a convenção do partido que homologou o seu nome. Com isso, deixou o Senado em janeiro de 1991, sem ter concorrido à reeleição em outubro do ano anterior. De volta à carreira política, no pleito de outubro de 1994 elegeu-se deputado federal, agora pelo Partido da Frente Liberal (PFL), partido ao qual se filiara em 1993. Empossado em fevereiro de 1995, foi membro da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle e titular da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) de direitos autorais.

No mesmo ano, exerceu também o cargo de primeiro vice-presidente do PFL. Nas votações das emendas constitucionais propostas pelo governo Fernando Henrique Cardoso em 1995, votou a favor da quebra do monopólio dos governos estaduais na distribuição de gás canalizado, da quebra do monopólio das embarcações nacionais na navegação de cabotagem, da quebra do monopólio estatal das telecomunicações, da quebra do monopólio da Petrobras na exploração de petróleo e da mudança do conceito de empresa nacional.

Foi também favorável à prorrogação do Fundo Social de Emergência, rebatizado de Fundo de Estabilização Fiscal, que permitia ao governo gastar 20% da arrecadação de impostos, sem que estas verbas ficassem obrigatoriamente vinculadas ao setores de saúde e educação. Em junho de 1996, já integrando a bancada do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), votou a favor da criação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira — que substituiu o Imposto Provisório sobre Movimentação Financeira —, imposto sobre transações bancárias criada como fonte complementar de recursos para a saúde. Em fevereiro de 1997, sempre acompanhando os votos do governo, declarou-se favorável à emenda que aprovou a possibilidade de reeleição para prefeitos, governadores e o presidente da República.

Em novembro seguinte, votou também a favor do destaque do projeto de reforma administrativa do governo que instituiu o fim da estabilidade no serviço público por insuficiência de desempenho ou por excesso de gastos com pessoal. Durante a legislatura, participou de várias comissões na Câmara, entre as quais as de Educação, Cultura e Desporto (1995-1996), Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (1996-1998), Agricultura e Política Rural (1997) e Minas e Energia (1997). Disputou uma cadeira para o Senado no pleito de outubro de 1998, pela legenda do PSDB, sem, contudo, eleger-se. Faleceu em Natal no dia 22 de dezembro de 1998, em pleno exercício do mandato de deputado. Sua vaga na Câmara foi ocupada pela suplente Ana Catarina Alves. Teve três filhas de seu casamento com Míriam de Sousa. Publicou Autonomia universitária (1985), Manual do vereador (1984) e Visão política (1984).

O decreto do prefeito Túlio Lemos, datado de 1 de novembro de 2017, que demitiu todos os servidores comissionados da Prefeitura de Macau, alegando dificuldades financeiras, foi por água abaixo. Nesta sexta-feira, 03 de novembro, o diário oficial de N° 1250, traz portarias revogando as exonerações de todos os secretários municipais.

A medida além de manter os secretários nos cargos, também torna sem efeito as exonerações de diretores de escolas, se estendendo a subprocuradora do município, Advogada Larissa Holanda, e mais dois assessores lotados no gabinete do prefeito, Fabiano de Oliveira Santos e Mateus Rudnick. Dennis Thierry, Secretário Adjunto da Juventude também se mantém no cargo.

A revogação das portarias possibilita que toda a família do prefeito, se mantenha empregada no primeiro escalão do município, mesmo contrariando o ministério público do RN, que recomendou a exoneração de todos. O tio do prefeito Bosco Afonso, reassume sua pasta de secretário chefe de gabinete, a esposa Andréa Lemos, assistência social e o irmão Jonas Lemos, tributação.

A medida adotada pelo gestor municipal abre brecha para novas nomeações, já existem evidencias que o gestor vai revogar outras portarias, beneficiando servidores das áreas da administração, infraestrutura, imprensa, agricultura e pesca, saúde, educação e cultura, turismo e assistência social.
Na edição desta quarta-feira (11) do Diário Oficial do Estado têm veiculação três atos chancelados pela primeira promotora de Justiça da comarca do Assú, bacharela Fernanda Bezerra Guerreiro Lobo.

A Portaria nº 61/2017, de 25 de setembro passado, trata da instauração do Procedimento de Investigação Criminal nº 06.2017.00002833-2, que objetiva apurar suposta poluição ambiental causada em lagoa do município de Carnaubais, sendo alvos da averiguação a Prefeitura da cidade e a companhia de Águas e Esgotos do RN (CAERN).

A Portaria nº 61/2017, da mesma data, é criado o Inquérito Civil nº 06.2017.00002834-3, cm o fim de apurar suposto transporte irregular de alunos praticado por particulares, no município de Carnaubais.

Finalmente, a Portaria nº 63/2017, também do dia 25 de setembro, dá origem ao Procedimento de Investigação Criminal nº 06.2017.00001885-6, cuja finalidade é averiguar possível cometimento do crime previsto no art. 10 da Lei de Ação Civil Pública, por Túlio César de Medeiros Almeida, diretor da 11ª Diretoria Regional de Educação e Cultura (DIREC).
A lei nº 10.230, de autoria do deputado Hermano Morais (PMDB), que dispõe sobre a produção e a comercialização de queijos e manteiga artesanais do Rio Grande do Norte, ganhou destaque internacional essa semana no site da Rede Internacional Slow Food, organização global de base que atua em favor da preservação das tradições e das culturas alimentares locais. A lei “Nivardo Mello”, como é designada, foi sancionada pelo Executivo Estadual no início de agosto.

"Essa legislação consolida a preservação da nossa cultura gastronômica, bem como favorece a economia rural por meio da geração de emprego e renda. A produção artesanal do queijo e manteiga representa uma alternativa econômica de conservação e aproveitamento da produção leiteira do Estado, cuja tradição forjou um modo de fazer próprio, expresso na forma de manipulação do leite, conferindo a cada queijo aparência e sabor específicos", explica Hermano.

A publicação destaca a iniciativa da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte e diz que a legislação potiguar vai incentivar outros estados brasileiros a produzirem leis específicas de acordo com suas respectivas realidades. A matéria estampa ainda um mapa com a distribuição das queijeiras artesanais no país.

Pela definição da lei, considera-se queijo artesanal o queijo produzido com leite integral, fresco e cru, respeitados os métodos tradicionais, culturais e regionais. Já a manteiga da terra ou de garrafa aquela produzida com nata e sal, também respeitando os mesmos métodos. A lei “Nivardo Mello” contempla mais de 300 queijeiras do Estado, impulsionando o trabalho de pequenos produtores e, consequentemente, a economia do RN.

Desde a sua fundação, em 1989, a organização internacional Slow Food atua numa rede global que envolve milhões de pessoas em mais de 160 países e que trabalham para garantir o acesso a um alimento bom, limpo e justo para todos.

Nós vivemos num mundo de pessoas estressadas, que por qualquer coisa, às vezes até insignificante, estão prontas para agredir com palavras duras, PELAS REDES SOCIAIS; isso quando já não partem para a agressão física. E não são só os adultos que agem assim. As crianças de hoje, por qualquer coisa banal estão se agredindo verbalmente e fisicamente, com socos e pontapés.

Sou Jornalista Radialista locutor animador e diretor de programação Com registro profissional TRT-1899 desde dos 19 anos e tenho observado que a cada ano que passa, o problema da agressividade e dos palavrões tem aumentado consideravelmente entre as crianças que convivem com a "cultura da violência", seja ela verbal ou fisicamente, na rua, na escola, ou na própria família. E a televisão, juntos com a internet, com certeza dá a sua grande parcela de contribuição, para que essa situação se agrave cada vez mais.

Mas agora, falando para nós, que somos cristãos, que deveríamos ser o "sal da terra" ou o "perfume suave", quantas vezes já fomos indelicados, estúpidos, grosseiros, usando palavras que feriram corações e causaram tristeza e desânimo para aqueles que estariam precisando de bálsamo para a alma? Estamos tão acostumados com notícias de violências, que já nem nos impressionam mais, quando crianças, jovens e velhos são vítimas dessa onda avassaladora que atingem a todos.

Mas poucos ficam sabendo sobre a violência silenciosa que atinge as famílias, destruindo os relacionamentos de seus membros, quando deveria reinar a paz, a solidariedade, a compreensão, o amor e a felicidade! É em nosso lar, que mostramos quem realmente nós somos, o nosso verdadeiro rosto, sem fingimento, sem máscaras! Estou sendo delicado com a família, nos momentos em que os ânimos estão alterados e as emoções descontroladas ou estou colocando mais "lenha na fogueira"? Estou dando respostas dura, usando palavras indelicadas, com tom de voz agressivo, que até os anjos se retiram de nossas casas, para não terem que ouví-la ?

"As palavras bondosas são como o mel: doce para a alma e saúde para o corpo". Provérbios 16: 24.
Estamos usando palavras como: "muito obrigado"; "por favor", "seria possível", "me dá licença", "que comida gostosa que você fez querida","como você está linda (o)", e a palavra que deixa qualquer um nas nuvens "eu te amo"! A nossa vida não seria muito melhor e mais feliz se usássemos todos os dias, em nosso local de trabalho e principalmente em nosso lar, essas palavrinhas mágicas? Deus nos deixou conselhos maravilhosos em sua Palavra, e um deles nós encontramos em Provérbios 15: 23: "Saber dar uma resposta é uma alegria; como é boa a palavra certa na hora certa"! Quantos corações não seriam feridos e machucados se seguíssemos esse conselho divino! Devemos pensar muito ao abrir a nossa boca para dar respostas, ou dizer alguma coisa que irão causar tristezas, ódios, desavenças, brigas, separações e trevas para o caminho daqueles que talvez já seja cheio de espinhos, pelas circunstâncias da vida! Você tem revidado palavras duras com a mesma moeda? Você tem ficado irado, sem controle de suas emoções, no local de trabalho, com seus amigos ou mesmo em sua casa? Não se estresse, pois "Quando o tolo é ofendido, logo todos ficam sabendo, quem é prudente faz de conta que não foi insultado".

Provérbios 12: 16. Meu querido amigo e amiga, que a nossa boca possa ser "um manancial de vida" (Prov. 10: 11), para todos aqueles que convivem conosco ou para aqueles que apenas cruzarem o nosso caminho! Provérbios 15: 1.

Para entender como alguém lê, é necessário saber como são seus olhos e qual é a sua visão do mundo”.

O ponto de vista que alguém sustenta acerca dos diversos assuntos que lhe são desafiados a opinar está diretamente vinculado à posição que ele ou ela ocupa no campo social. Ponto de vista tem a ver com lugar de fala; e, se estamos posicionados em lugares diferentes, por suposto termos opiniões distintas a respeito das mesmas questões.

Ao referirmo-nos a campo social, subjazem condicionantes como história de vida, experiências sociais, individuais e psicológicas relevantes e o modo de lidar com elas, a cultura, a religião e a tradição onde estamos imersos, a classe socioeconômica e a geração de onde provimos, que demarcam necessariamente nosso juízo. Não se é lícito cobrar neutralidade de alguém na medida em que a condição humana é hermenêutica: 

inarredavelmente, a interpretação recebe influxos da experiência. O fato de nenhuma opinião ser idêntica a outra pelo simples fato de nenhuma posição social ser inteiramente coincidente com outra é a razão da diferença e da divergência que compõem essencialmente o pluralismo das democracias modernas.

A diferença e a divergência, todavia, não inviabilizam a comunicação intersubjetiva, pois, a partir de um pano de fundo compartilhado de significados, nos é alcançável a concórdia em meio à controvérsia. Mas, para que o consenso aconteça, é necessário que todos esses pontos de vista singulares sejam levados devidamente em conta. 

Na próxima terça-feira (11), o Governo do RN, junto com a Prefeitura de Natal e a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado (Fecomércio RN), assinam convênio para manutenção do Centro Integrado de Esporte e Cultura RN Vida.O evento, que contará com a presença do Governador Robinson Faria, celebrará o 5º ano de atividades do projeto, que atende a crianças e adolescentes entre 7 e 16 anos, oferecendo arte, cultura e esporte como atividades complementares à formação educacional.
Pelo terceiro ano consecutivo, Santa Cruz participará do maior evento de turismo do Rio Grande do Norte, o Fórum de Turismo do RN. O evento acontece nesta sexta-feira (07) e sábado (08), no Centro de Convenções de Natal/RN. O objetivo será promover debates para o desenvolvimento do setor e o aperfeiçoamento daqueles que trabalham com turismo no Estado.

Também durante as datas acontece a 3ª Feira de Municípios e Produtos Turísticos do RN (Femptur), com espaço para cultura, artesanato, gastronomia e atrativos turísticos de 30 municípios potiguares, entre eles, Santa Cruz. O estande preparado pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico, irá distribuir material de divulgação.
O Rio Grande do Norte será protagonista mais uma vez de um importante evento do turismo mundial e o principal da América Latina. O Estado potiguar participará com estande próprio na quinta edição da WTM Latin América 2017. A feira acontece entre 4 e 6 de abril, na Expo Center Norte, em São Paulo.

O estande do RN, montado com recursos do Governo Cidadão para as equipes da Setur RN e da Emprotur, dará suporte a mais de 30 representantes do trade potiguar que reforçarão a promoção dos destinos potiguares dos cinco pólos, que estarão destacados em banners no estande, além de mostra da gastronomia e da cultura local, com apresentação da cantora Cida Lobo.
Com respectivamente 154 e 140 cidades em situação de emergência, os estados do Rio Grande do Norte e Ceará, também sofrem sem água. Segundo a meteorologista Morgana Almeida, chefe da previsão do tempo do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), esta situação é reflexo de um acúmulo dos impactos causados pelo El Niño.

“Temos que olhar para o retrovisor. O El Niño é um fenômeno que acontece há cinco anos e atingiu seu ápice nos últimos três, o que levou o semiárido nordestino a uma situação de seca excepcional e isto impacta diretamente nos reservatórios que abastecem as cidades da região.” O estado do Ceará, por exemplo, vem enfrentando secas seguidas desde 2011, o que fez com que o volume de água armazenado esteja atualmente em 8,8% dos reservatórios, o menor em mais de vinte anos.

Mesmo com uma das situações mais críticas no Brasil, ainda não houve racionamento de água no consumo da população cearense. De acordo com o diretor de negócios do interior da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), Helder Cortez, a companhia e representantes do estado e do governo federal se uniram para elaborar ações que buscassem reverter o problema hídrico em cada um dos municípios.

Como resultado destas ações o estado conseguiu reduzir em média 21% o consumo por ligação na Região Metropolitana de Fortaleza. Para Helder esse resultado foi “fruto de uma campanha de comunicação e sensibilização da sociedade”, mas não garante ainda o reabastecimento dos reservatórios.

“A recarga da região metropolitana de Fortaleza ainda está fraca. Se continuarmos assim deveremos fazer um novo estudo e talvez chegar a um contingenciamento mais severo.” Na Bahia, desde o mês passado, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) determinou o racionamento de água 13 municípios da região Centro Norte do Estado, por causa da falta de chuvas.

De acordo com a Embasa, a Bahia está enfrentando “a pior seca dos últimos 100 anos”. O racionamento atingiu as cidades de Jacobina, Pindobaçu Antonio Gonçalves, Campo Formoso, Serrolândia, Várzea do Poço, Caldeirão Grande, Ponto Novo, Filadélfia, Itiúba, Jaguarari, Andorinha e Senhor do Bonfim. Além dos municípios do Centro Norte da Bahia, estão em situação de alerta outros 81 municípios baianos.

Na Paraíba, o número de cidades com problemas de abastecimento de água devido à estiagem aumentou 60% em um ano. Segundo dados da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa), a quantidade de cidades em racionamento eram 102 no ano passado e, agora, são 198. Outra região também afetada pelos efeitos do El Niño é o Centro-Oeste.

O Distrito Federal decretou situação de emergência no fim de janeiro, quando sofreu reduções significativas no reservatório da Barragem do Rio Descoberto e atingiu o nível crítico abaixo de 20%. Diferente do estado do Ceará, ainda em janeiro o DF iniciou um calendário de racionamento que inicialmente atingiu 1,8 milhão de pessoas.

Com a estiagem e a diminuição do nível do segundo maior reservatório da região, o de Santa Maria, a região central de Brasília, o Plano Piloto, também foi incluído no racionamento, ficando de fora apenas a Esplanada dos Ministérios e os hospitais públicos.

Não é de hoje que o mundo chama a atenção para a importância da gestão racional da água, o debate é antigo e vem sendo reforçado ao longo da história com marcos como o Dia Mundial da Água, decretado em 1992, pela Organização das Nações Unidas, ou o Ano Internacional de Cooperação pela Água, que em 2013 foi dedicado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura para reflexão sobre o tema. No entanto, mesmo com tantos reforços para lembrar sobre a importância dos recursos hídricos do planeta, as pessoas ainda não aprenderam a gerir de forma adequada a água.

No Brasil, algumas cidades já percebem este impacto em seus cotidianos, a história continuará se repetindo se não houver mais conscientização. Este ano regiões Nordeste e Centro-Oeste são as mais afetadas, mas há um ano São Paulo, por exemplo superou a maior crise hídrica de sua história, que teve início em janeiro de 2014. 
Meu. Caro amigo blogueiro Edvan Barreto, não vejo que administrar um município seja bicho de sete cabeça, até porque ou se governa com responsabilidade ou até os ricos municípios passam por dificuldades com é o caso da rica Guamaré que vc conhece bem. Portanto acho um pouco precipitada sua postagem, quando vejo que você está querendo que se resolva a situação de um município que foi destroçado durante dezesseis anos e que em apenas setenta dias já esteja tudo resolvido, ou seja recuperada a toque de mágica. Sinceramente em alguns setores eu esperava que estivesse acontecido algumas coisas com mais rapidez como por exemplo na secretárias de agricultura o corte de terra que não está acontecendo lá nem aqui em Guamaré. Com relação a Pedro Avelino não por falta de empenho do jovem secretário Matheus que não tem dia nem hora pra buscar solução para os problemas que eu já sábia que ia enfrentar, mais devido a essa Lei onde o novo prefeito tem que esperar que o seu antecessor pelo simples fato de não ter eleito o sucessor, procura acabar com o patrimônio público. A prefeita recebeu quase todos os tratores sucateados, só pneus teve que comprar dez, câmaras de ar, baterias, bomba injetora, grades sucateados etc. Mais tivemos avanço primeiro com relação ao pagamento do funcionário público que passa até quatro meses sem receber seus vencimentos, hoje os funcionários recebem antecipado com em fevereiro receberam com seus dias de antecedência. Saúde melhorou signitivamente atendimentos com médicos todos os dias, os funcionários e pacientes sendo respeitados independente da cor partidária, aquisição de Ambulância quando a que existia não tinha condições de rodar. Com relação a obras inacabadas temos várias, não por culpa da atual administração e sim por falta de compromisso das administrações anteriores. Citarei algumas Estádios de Futebol, um não existe mais sem nunca ter sido utilizado, o outro dado como concluído desde 2003 e nunca fui utilizado porque nunca foi concluído, embora no papel sim com a conivência de fiscais venais da Caixa Econômica que deram um laudo mentiroso. Praças, Cras, Centro de Cultura onde foi liberado todos os recursos no valor de 487 Mil Reais e a obra não está pronta precisando que o município disponibilize 150 mil reais para a conclusão da obra. Esse Posto de Saúde que vc postou a foto é outro que fizeram um convênio no calor e 151 Mil Reais sendo que 66 seria de contrapartida do município, fato esse que nem tinha e nem tem como disponibilizar esse dinheiro portanto conheça o motivo porque essa obra está parada a mais de um ano. E com relação a prefeita ter maioria na Câmara isso não que dizer que temos que concordar com os erros que venham a acontecer, de minha parte estou livre pra tomar qualquer decisão em consonosia com a minha consciência, sabe porque amigo, porque só um dos poucos vereadores desse estado que não aceito cargo pra aliados ou familiares pra fazer conchavo com prefeito, sou aliado capacho não. Finalizei cobrando do ilustre amigo que faça essa mesma comparação como o município rico de Chamaré, e aqui quero deixar registrado esse convite para que no final do ano, faça uma visita ao nosso município é tenha a liberdade de dizer a real situação que à encontrou. Vereador: Agtônio Soares
A Câmara Municipal de Vereadores de Guamaré realizou nesta segunda-feira (20), sessão solene que abriu os trabalhos do ano de 2017, com a presença de inúmeras pessoas em sua galeria, além da presença dos vereadores, lideranças politicas e religiosas, sindicalistas, familiares, o presidente da Casa Legislativa, vereador Emilson de Borba Cunha, abriu a sessão muito otimista, agradecendo a presença de todos, e destacando a expectativa para mais um ano legislativo.

O presidente declarou aberto oficialmente os trabalhos da Casa, em seguida, o prefeito Hélio passou a fazer a leitura da tradicional mensagem anual, focando as ações realizadas pelo executivo durante o ano de 2016, e as metas a serem realizadas em 2017.

Veja na integra a mensagem do prefeito Hélio. 
Excelentíssimo Senhor Presidente,
Excelentíssimas Senhoras Vereadoras, 
Excelentíssimos Senhores Vereadores,
Excelentíssima Senhora Vice Prefeita,
Senhores Secretários Municipais,
Caros Servidores Públicos,
Lideranças religiosas e comunitárias do município,
E demais presentes,
Minhas senhoras,
meus senhores,

Abrir os trabalhos nesta Casa no dia de hoje é uma grande honra para mim. Mais uma vez, sinto-me gratificado por ter sido escolhido pelo povo para estar à frente de nossa querida e amada cidade e, ao mesmo tempo, ao lado de cada um dos senhores e senhoras.

Sabemos que a independência e a convivência entre os poderes públicos são alicerces sólidos e indestrutíveis na construção da democracia e na garantia dos interesses populares, acima de quaisquer outros.

Por isso, é preciso que nós, legítimos instrumentos da vontade e do voto popular, possamos incansavelmente buscar o caminho que nos leve ao diálogo, à paz e à união. Pelo bem do progresso de Guamaré. Pelo bem de todos guamareenses.

Tenho a absoluta certeza de que essa relação harmônica e respeitosa é o que queremos ver e prosperar cada vez mais entre esta Casa e o Executivo local.

As diferenças políticas – outrora ecoadas em palanques eleitorais – jamais podem nos desviar de nossa meta maior: fazer de Guamaré a melhor cidade para todos nós e para as futuras gerações.

Minhas senhoras,
meus senhores,
Nos últimos quatro anos, aprendi muito. Hoje, sinto-me mais experiente e preparado para seguir trabalhando pela nossa gente. Tenho humildade para reconhecer que um prefeito jamais será maior do que o município que ele governa. Mas, ao mesmo tempo, reconheço que somos a principal ferramenta capaz de construir os sonhos de uma cidade. Trago em meu coração e em minhas mãos uma lição que eu aprendi vivenciando os capítulos da vida:

É tentando fazer o impossível que se faz o melhor possível. Lutando para fazer o impossível, nós demos o primeiro passo – e decisivo – para o verdadeiro desenvolvimento social e econômico da história de Guamaré.

Este primeiro passo resultou em um grande conjunto de ações e obras, importantes para o nosso Município.

Mas antes de fazer um breve balanço sobre essas realizações aprovadas pela população e apresentar outras novas para os próximos quatro anos, é importante aproveitar este momento de reflexão para lembrar: tudo o que fizemos até aqui, fizemos enfrentando a maior crise econômica, moral e ética da história do Brasil.

Uma crise, como disse, sem precedentes, e, como todos sabem, que afetou, e continua afetando, diretamente as fontes de receita de Guamaré.

Sei que a crise não pode ser desculpa para uma Prefeitura deixar de trabalhar. Mas, também, a crise não pode e nem deve ser menosprezada.

Por isso, admito: chegar até aqui não foi fácil. Mas em meu vocabulário não existem as palavras desistência nem desânimo. Pelo contrário. Existe, sim, uma série de palavras como fé, superação, determinação e trabalho. Muito trabalho.
E trabalho em equipe.

Juntos, graças a Deus e a todos servidores municipais, não nos faltaram vontade e dedicação para alcançar grande parte do que planejamos desde os primeiros dias de nossa gestão.

Com austeridade e transparência, respeitando e zelando sempre o dinheiro público, temos trabalhado com os pés no chão e os olhos no futuro.

Temos a nossa transparência aberta para críticas e elogios, somos fiel a responsabilidade fiscal, nossos bimestres são enviados ao TCE rigorosamente em dia, nossos impostos são adimplidos no seu vencimento, na forma preconizada na lei, tratamos da coisa pública com respeito e dedicação, o nosso governo se reveste da ética e da economicidade, somos humanos no trato pessoal, cuidamos de cada cidadão com respeito e verdade, não identificamos adversários ou críticos, ouvimos as ruas com atenção e respeito, somos fiel a cada palavra dita, não temos medo do julgamento público, pois foi esse julgamento que disse sim para continuarmos!

Os exemplos deste trabalho coletivo podemos ver por todos os lados.
Com os pés no chão, já implantamos três dessalinizadores que transformam água salobra em água boa de beber. Dois deles nos assentamentos de Santa Paz e Santa Maria III. E o terceiro, o maior de todos, na comunidade de Baixa do Meio.

Com os olhos no futuro, já no segundo semestre deste ano, seremos a primeira cidade do Brasil – e da América Latina – a implantar o revolucionário projeto que vai converter a água do mar em água potável. Os investimentos para este projeto chegam a mais de 11 milhões de reais.

E é bom que se diga: tão importante quanto nos tornar referência nacional nesta tecnologia é colocar um ponto final nos constantes problemas de falta d’água para a população.

Com os pés no chão, também já reformamos e ampliamos mais de 50% das escolas do Município, beneficiando quase quatro mil estudantes do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos.

Com os pés no chão, fizemos mais do que investir na infraestrutura de nossa educação: implantamos o Plano Municipal de Educação; distribuímos fardamento e merenda escolar de qualidade a todos os alunos da Rede Municipal; valorizamos os docentes com melhores salários; e criamos projetos para estimular a leitura, a música, o esporte, entre outras atividades pedagógicas. Dentro e fora das salas de aula.

Com os olhos no futuro, vamos avançar com novas melhorias na educação. Em nosso orçamento deste ano, por exemplo, já estão previstos três milhões, duzentos e vinte mil reais para construção, reforma e manutenção de escolas. Mas não vamos parar por aí. Vamos seguir instalando novos telecentros, oferecendo novas oportunidades de conhecimento aos alunos e garantindo condições dignas de trabalho aos professores.

Minhas senhoras, meus senhores,
A experiência como prefeito me ensina diariamente algo muito importante: se você olhar para uma multidão, talvez não consiga ver uma solução única para todos. Mas se olhar nos olhos de cada pessoa, no mínimo, vai se dedicar como nunca para melhorar a vida de cada uma delas.

E, hoje, garanto a vocês: nos dedicamos muito para melhorar a saúde em nosso Município.

Com os pés no chão, em apenas um ano, superamos a marca de mil cirurgias realizadas no Hospital Maternidade Manoel Lucas de Miranda.

Hoje, o nosso orgulho vai muito além do petróleo, do sal e do vento que abençoa esta terra. Hoje, podemos nos orgulhar por saber que o futuro de nossa cidade já nasce no berço deste solo tão amado por todos nós. E isso só foi possível graças à construção do Centro Cirúrgico de Média Complexidade.

Com os pés no chão, fizemos ainda mais na saúde: construímos o Centro de Reabilitação, dois Ambulatórios Médicos Especializados, três Unidades Básicas de Saúde e seis consultórios odontológicos; reformamos a UPA; ampliamos o número de equipes Estratégia Saúde da Família para chegar a 100% do Município; modernizamos o atendimento básico, com a implantação do prontuário eletrônico e a distribuição de tablets aos agentes comunitários; sem falar na distribuição gratuita de mais de 150 tipos de medicamentos, entre tantos outros investimentos que fizemos nesta área.

Com os olhos no futuro, queremos e vamos fazer ainda mais pela saúde dos guamareenses. Vamos seguir trabalhando para que o nosso Hospital Maternidade continue sendo referência – para todo o Rio Grande do Norte – no que diz respeito à qualidade no atendimento às mães e aos filhos. E, acima de tudo, vamos seguir trabalhando para que a nossa gente seja sempre atendida com a dignidade e o respeito que merece ter.

Meus senhores, minhas senhoras,
Ao longo da minha vida pública, aprendi que um verdadeiro governante democrático deve ter ouvidos ativos para escutar a verdade, olhos abertos para ver e repreender o mal feito antes mesmo que ele se realize, mente vigilante para que nada possa por em perigo a liberdade de pensar e de se expressar dos cidadãos e um coração dedicado, dia e noite, a serviço do povo.

Foi pensando assim que o nosso esforço se converteu em trabalho. E o nosso trabalho se transformou em mais resultados.

Sem dúvida, um dos marcos de nossa administração é a construção da Estação de Tratamento de Esgoto, no Conjunto Vila Maria. Uma obra importantíssima para o hoje e o amanhã de Guamaré.

Em parceria com o Governo Federal, mas, principalmente com recursos próprios, estamos construindo mais de 520 unidades habitacionais para beneficiar famílias de Salina da Cruz, Quilombo, Morro do Judas, Lagoa Seca, Baixa do Meio e Centro de Guamaré.
E, nesse ritmo de trabalho, posso afirmar: até 2020, vamos, sim, zerar o déficit habitacional em Guamaré.

Além da pavimentação de ruas e avenidas, conservação de praças e prédios públicos, criação de novos espaços esportivos e conclusão da nossa ciclovia, há outro ponto importante a se destacar neste breve resumo de nossas realizações e projetos para o futuro: os investimentos em segurança.

Enquanto estamos acompanhando atentos pela TV as políticas de segurança de muitos governos sendo colocadas em xeque, em Guamaré, temos uma grande certeza: o crime aqui não tem vez.

E digo exatamente o motivo: temos uma Defesa Civil e uma Guarda Municipal atuantes e corajosas, que, em parceria com as Polícias Militar e Civil, garantem a segurança e a tranquilidade das famílias guamareenses. Assim como, na Prevenção e conscientização infantil, apoiamos o Projeto da Guarda Mirim, que tem garantido o estímulo das noções de cidadania e conscientização preventiva a segurança desde a Pequena Infância, o que certamente contribuirá para o desenvolvimento de nossa cidade.

Mas nunca podemos nos contentar com o que já alcançamos. Por isso, a partir deste ano, vamos dar um passo adiante na prevenção e combate ao crime: vamos implantar o vídeo-monitoramento com 30 câmeras nas vias públicas aqui da cidade e nos distritos de Salina da Cruz, Baixa do Meio e Lagoa Seca.

Ainda sobre segurança, informo que, em nosso orçamento deste ano, também já reservamos dois milhões de reais para a instalação e manutenção da iluminação pública.

Outro ponto que vale destaque aqui é o esporte. O esporte é um grande aliado para enfrentar os riscos das ruas. É a porta de entrada para formar mais do que atletas. Para formar cidadãos. Desta forma, não medimos esforços para investir também nessa área, implantando duas academias gratuitas, com estrutura e pessoal treinado, além da criação de projetos vitoriosos como o Formando Campeões, Projeto Gol de Letra, Projeto Bem-estar, entre outros.

Minhas senhoras, meus senhores,
Sabemos que a riqueza de nosso Município não pode ser reconhecida unicamente pelo o que jorra nestas terras nem pelo o que o vento nos traz de bom. Mas, sim, deve ser sempre lembrada pelo talento de nosso povo e pelas nossas belezas naturais.

Por isso, ano após ano, temos incentivado a produção cultural em Guamaré: valorizando e aprimorando as Quadrilhas Juninas e apoiando as festas populares de nosso calendário de eventos.

Assim como na cultura, o turismo vem recebendo atenção especial em nossa gestão. Seja com obras estruturantes, como a construção do Complexo Turístico Canto do Amaro e a construção da Orla do Vila Maria; seja com o estímulo à divulgação da nossa cidade como destino turístico para o Estado, para o Brasil e para o mundo.

Aliás, este ponto é tão importante para movimentar a nossa economia nos próximos quatro anos, que, já em março, Guamaré estará presente em duas das maiores feiras mundiais de operadoras de turismo: a AVIESP, em São Paulo, e a BTL, em Lisboa.

Porque não custa lembrar: estimular o turismo é gerar mais emprego e renda para a nossa gente.

E falando em gente, não podemos deixar de citar importantes avanços sociais conquistados nos últimos anos por Guamaré.

De todas as cidades do Nordeste, já somos a que mais investe em assistência social: 8% do orçamento municipal é destinado a programas que têm o objetivo de atender, especialmente, crianças, adolescentes, mulheres e idosos. Resultado: estamos reduzindo – dia após dia – a pobreza em nosso Município e valorizando cada vez mais a vida de nossa gente.

O nosso restaurante popular está passando por reformas para oferecer ainda mais conforto e refeição digna a dezenas de pessoas. O Programa Renda Cidadã – que beneficia milhares de famílias abaixo da linha da pobreza – vai continuar firme e forte, sendo pago sempre em dia, assim como foi nos últimos quatro anos.

Os Centros de Assistência Social, os Núcleos de Convivência e Fortalecimento de Vínculos, o Núcleo de Capacitação, Renda e Cidadania e a Unidade de Acolhimento Institucional são mais alguns exemplos concretos do quanto vale a pena trabalhar pelas pessoas que mais precisam da ajuda da Prefeitura.

O reconhecimento de todo este trabalho que estamos desenvolvendo em nosso Município muitas vezes vem através de um sorriso ou de um abraço de um pescador ou de uma dona de casa. Mas, também, vem por meio de importantes certificações internacionais.

Hoje, Guamaré pode se orgulhar, e muito, em ter conquistado o Selo Unicef – Município Aprovado. Uma conquista que só reforça o que a grande maioria da população já sabe a respeito de nossa gestão: nós estamos no caminho certo.

Não tenham dúvidas: o futuro de Guamaré já começou. Agora, em 2017, vamos investir mais três milhões de reais em pavimentação, recapeamento, asfalto e calçamento. O Projeto Orla, em Canto Amaro, como disse anteriormente, vai virar realidade com investimentos que chegam à ordem de um milhão de reais. E reforço: neste novo ano, acima de tudo, vamos priorizar a geração de empregos. Para isso, vamos investir no turismo e fazer novas parcerias com a iniciativa privada. 

Minhas senhoras, meus senhores,
Antes de finalizar a minha mensagem anual nesta respeitosa Casa, gostaria de dedicar algumas palavras de gratidão. Primeiramente, agradecendo ao nosso Senhor Jesus Cristo, digno de toda honra e glória. Porque em meio a caminhada, fui surpreendido por uma grande tempestade. Quando o vento tentou me levar, a angústia me feriu, e a dor mais forte do que eu quis calar a minha voz. Foi Ele que me sustentou com sua mão, e me fez ousar com a minha fé, deixando a certeza em meu coração, que eu não estava lutando só, e então me tornou, mais uma vez, um CAMPEÃO VENCEDOR. Obrigado Deus!

Agradeço a todos os eleitores que acreditaram, votaram, oraram e continuam orando, por almejar uma cidade cada dia mais próspera.

A professora Iracema, minha amiga e companheira de chapa, aos servidores públicos do Município, que, mesmo diante das dificuldades, não negam esforços para fazer o seu melhor em prol do desenvolvimento de nossa cidade e da melhoria da qualidade de vida de nosso povo. E agradeço, especialmente, à minha família: meus pais, Mundinho e Maria Neves, meus irmãos e irmãs. Minha esposa Christianny e minhas filhas Roberta Luiza e Esthér. Sem eles, a minha luta seria ainda mais difícil. E as minhas desilusões e as minhas glórias – ao longo de toda esta trilha – seriam solitárias.

Estejam certos, minhas senhoras, meus senhores: ninguém é perfeito. Por isso, queremos ser hoje melhores do que fomos ontem e, amanhã, melhores do que somos hoje. Nunca estaremos plenamente satisfeitos com o que já alcançamos. E este é o principal combustível que precisamos para seguir adiante e realizar os nossos sonhos.

É hora de olharmos para o futuro com sabedoria. E o primeiro degrau para se chegar à sabedoria é a humildade.

Por isso, e por fim, humildemente, conto com cada um dos senhores e senhoras nesta nova luta.

Vamos ao trabalho!
Vamos ao trabalho com união, paz e progresso!
Vamos seguir fazendo de Guamaré uma cidade cada vez mais justa e próspera!
Uma cidade cada vez melhor!
Muito obrigado.

Prefeito Hélio Willamy de Miranda Fonseca
POR-GUAMARÉEMDIA

A cidade de Guamaré acaba de criar o seu conselho municipal de desenvolvimento sustentável e solidário do município, o referido conselho tem como objetivo trabalhar as politica publicas do RN sustentável, que através de editais lançados pelos programas do governo estadual, poderá arrecadar recursos para as mais diversas áreas dos segmentos produtivo, tais como: A agricultura familiar, pesca, carcinicultura, fruticultura, incentivo a cultura local, artesanato, GT das mulheres, programas de apoio a juventude e outros.

Os trabalhos foram coordenados pela assessoria jurídica do município que fez a revisão da lei municipal do CMDSS, em seguida foram convocados os presidentes de associações dos assentamentos, sindicato dos trabalhadores rurais, presidentes da colônia dos pescadores de Guamaré, representantes da igreja católica, ASPAM, secretaria de meio ambiente, secretaria de desenvolvimento agrário e secretaria de pesca e carcinicultura.

Os trabalhos de formação dos conselheiros foram coordenados pelo gestor em economia solidaria, o Sr. José de Arimateia, que buscou junto a equipe do RN sustentável as informações precisas para formação do mesmo. Já as informações técnicas para inserir o CMDESS no sistema do RN sustentável foram passadas pelo o Sr. Garibaldi Gentil, coordenador geral dos conselhos municipais do RN.

Em assembleia geral foi escolhido e votado a diretoria executiva do conselho que ficou da seguinte forma:

Presidente:
José de Arimateia de Miranda Siqueira 
Vice Presidente:
Francisco Fernandes da Fonseca:
Assentamento Umarizeiro
Tesoureiro:
Vania Maria A. Moura Martins
Sindicato Rural dos Trabalhadores na Agricultura.
Secretária: 
Francisca Xavier Abreu Assis.
Assentamento Lagoa de Baixo

Formado a mesa diretora do CMDESS foi enviado toda a documentação para a Coordenação do RN Sustentável, como também a relação dos membros titulares e suplentes que formam toda a representatividade dentro do conselho de desenvolvimentos sustentável e solidário, dessa forma então, o município de Guamaré passa a ter o seu conselho de sustentabilidade que devera atuar dentro de todas as esferas da conjuntura administrativa do município para o desenvolvimento e bem estar de toda a população, este conselho devera ser permanente, passando apenas por algumas reformas no seu regimento, dependendo apenas de cada gestor que estiver a frente do governo municipal. 

Fonte: José de Arimateia.
Orquestra de Macau
Levar cultura e lazer às praças da cidade. Essa é a proposta da Prefeitura de Macau, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura com o projeto “Domingo na Praça”. Na sua primeira edição, a iniciativa chega a Praça das Mães, no bairro do Valadão, neste domingo, 29, com uma programação voltada para toda família.

Tendas de literatura e contação de histórias, teatro, música, brincadeiras e muita diversão estão na programação do evento. Segundo o jornalista José Antônio Degas, a Filarmônica Monsenhor Honório abre o espetáculo e os artistas mambembes continuam a festa com a criançada. Um dia de lazer e cultura.

A programação se desenvolve em dois turnos, começando a partir das 8 horas da manhã e após o horário do almoço, retorna às 15 horas. Uma gincana cultural contará com a participação de equipes formadas no bairro. Parcerias Idealizado pelo departamento de Cultura, o projeto conta com apoio das Secretarias de Educação e Cultura, Ação Social e dos departamentos de Eventos e Comunicação. A iniciativa privada também apoia a iniciativa.
A gestão do prefeito Hélio tem trabalhado incansavelmente por uma melhor qualidade de vida da população. Todo o trabalho realizado pela gestão do prefeito, ao longo de sua gestão, simboliza o compromisso de sua administração com todas as camadas da sociedade, independentemente de cor, raça, partido, religião, etc. O prefeito Hélio foi eleito e reeleito para administrar Guamaré por inteira, e disso ele sempre teve plena consciência.

Ele trabalhou e continua trabalhando, até o último dia de gestão para fazer pelo município o que a população espera, deseja e merece. Hélio chegou a ser subestimado que não reassumiria a prefeitura, mas quem teve coragem e determinação para derrotar poderosas oligarquias que se reversavam no poder, não tem o direito de ter a alma pequena, mas tudo isso ficou para trás, porque a resposta das pessoas humildes que o elegeram e reelegeram lavou a sua alma. A gestão do prefeito, não perseguiu, nem descriminou quem quer que seja.

Mas isso não significa dizer que a gestão não teve prioridades políticas e administrativas no tocante aos investimentos que doravante foram feitos pela prefeitura. Hélio priorizou sim investimentos em todos os setores da área social, entre as quais podemos citar saúde, educação, habitação, infraestrutura, formação profissional com vistas a qualificar nossos jovens, entre outras áreas. Aliás, qualificação tem sido também uma prioridade, tendo em vista que sem preparo técnico adequado, as pessoas não conseguem emprego, principalmente pelo surto de desenvolvimento econômico porque atravessa os municípios brasileiros. Portanto, investir no social, criar e fomentar políticas compensatórias para beneficiar os mais carentes tem sido uma preocupação da gestão.

E o prefeito tem se preocupado com isso, principalmente quando se enfrenta uma crise econômica internacional cujos efeitos negativos infelizmente atingiram também o município. Diante dessa realidade, a administração concentrou força, coragem e determinação para minimizar o sofrimento do povo mais carente, notadamente, quando se sabe que Guamaré é um município que vem sendo reconhecido nacional e internacionalmente pela sua história e pela sua cultura. É fundamental frisar, que um dos principais compromissos do prefeito, foi o de trabalhar pelos que mais precisam do poder público. Dar a eles a oportunidade de cidadania plena, que significa melhor saúde, melhor escola, melhor moradia, melhor educação, além da certeza de uma prefeitura aliada e parceira.

Hélio, assumiu e cumpriu esse compromisso com os mais necessitados de apoio por parte dos governantes. Compromisso que não foi só dele, mas de toda sua equipe de auxiliares. Vale lembrar, que o sonho do povo de Guamaré de ter um prefeito compromissado com o município, foi mais que uma realidade. O prefeito inclusive tem agradecido a participação de todos nessa missão de constituir uma sociedade mais fraterna e mais justa. Não esquecendo de todas as entidades sociais que são entes vivos de qualquer sociedade, e que Guamaré precisava muito mesmo da participação de todas elas.

O prefeito sempre esteve preparado para ser prefeito, e como tal, jamais guardou rancores ou revoltas, como outros fizeram e fazem. Ele somou sim, estendendo suas mãos amigas a todos quanto queriam ombrear com ele nessa árdua, porém, nobre missão de continuar resgatando a dignidade social da nossa gente mais humilde e sofrida. Todos os servidores, bem como toda população, têm em Hélio um companheiro amigo de todas as horas, como sempre foi em toda sua gestão e vida cotidiana.

Aos empresários locais, Hélio foi um aliado que dentro da legalidade, facilitou a vida de quem queria investir ou que já estivesse investindo no município de Guamaré. Pelo contrário, não foi concorrente de qualquer um deles que queria investir, trabalhar, gerar emprego e renda neste município. O prefeito também jamais esqueceu de agradecer a sua vice-prefeita, aos vereadores, a cada trabalhador e trabalhadora, a cada cidadão, a cada servidor Guamaréense que confiou e continua acreditando no seu projeto para Guamaré, acima de tudo, agradecer a Deus, porque sem ele, nada teria acontecido.

A cidade de Guamaré e seu povo viveu momentos difíceis desde a campanha, quando Hélio disputou a prefeitura com o registro de sua candidatura impugnado (INDEFERIDO).

O sufoco piorou mais ainda quando no último dia 06 de dezembro uma decisão do TSE mudou o curso da história, onde por decisão monocrática o ministro Herman Beijamim tirou o gosto e o poder da soberania popular mantendo o resultado de 1ª e 2ª instância, confirmando o indeferimento de registro de candidatura de Hélio de Mundinho, prefeito reeleito do município de Guamaré.

Mas com a decisão do ministro do TSE Napoleão Maia Nunes Filho, que proferiu liminar para diplomação e posse de Hélio e Iracema, hoje a nossa cidade vive momentos de glórias com o prefeito e a vice, eleitos democraticamente sendo diplomados pela justiça.

Com os números atualizados no site do TSE, HÉLIO WILLAMY MIRANDA DA FONSECA, E IRACEMA MARIA DE MORAIS AMBOS DO (PMDB), aparecem como prefeito e vice-prefeito reeleito no município de Guamaré, sendo os mais votados com 6.249 votos. Agora, tirada a prova dos nove, já sabemos com tranquilidade quem vai administrar nosso município a partir de 2017. 




FOTO EURIPEDES DIAS
Jandaira-RN  pede socorro. A cidade está abandonada pelo poder público municipal. Todos os serviços públicos de competência da prefeitura funcionam precariamente. O infortúnio está em todas as áreas: ruas e avenidas esburacadas, praças abandonadas, esporte esquecido, educação pública precária e serviços de saúde deficitários. As promessas milagrosas do prefeito Beto Roque, durante a campanha, se transformaram em pesadelo assim que ele colocou a faixa de prefeito.

Prometeu amparar os jovens, gerar empregos, desenvolver o município, apoiar o esporte, estimular a cultura e elevar a qualidade de vida da população. Nada fez. Em vez de pôr em prática medidas administrativas capazes de transformar as promessas em atos benéficos para a população passou a perseguir pessoas humildes, demitir servidores públicos municipais e intimidar desafetos.
FOTO EURIPEDES DIAS
Desilusão, sofrimento e falta de perspectivas. Essa é a realidade hoje, especialmente dos jovens que acreditaram nas espalhafatosas promessas de campanha. O estado de abandono das áreas destinadas a práticas esportivas confirma o total desrespeito aos jovens e desportistas jandairenses. As quadras esportivas existentes na cidade estão em deplorável estado de conservação, estão em ruínas. Sem escolas de qualidade, sem oportunidade de trabalho e sem o prometido apoio.

Arruinada pela incompetência do prefeito, Jandaira pede socorro!
Nesta terça-feira (27) o município está completado 53 anos de sua emancipação politica, e o município não tem nenhum evento cultural e social para celebrar essa data tão importante para o município e sua população, nos 4 anos do atual prefeito Beto Roque não foi realizado nenhum evento em comemoração  a essa data.